Ricardo Aleixo

"Um livro, portanto, de alto valor científico, uma fonte de referência fiável da qual extrair informação segura, mas também muito mais que isto" (Danilo Prefumo, il Fronimo, nº 179, julho 2017).

"Um livro como o que acaba de publicar Ricardo Aleixo é de consulta obrigatória para quem queira adentrar-se nalgum dos aspetos, autores ou fontes de todo este período do século XVIII"  (Ángel Medina, El otro a ratos, 2017).

 

Glosas(áudios)

 

Caprichos, Preludios, Fantasias, ó Modulaciones, formacion de los Tonos mayores y menores, siguiendo el orden de los signos de la Musica, explicacion de sus nombres segun el metodo Ytaliano, Frances y Español, Obra de Guitarra escrita por d.n Fernando Ferandiere, en Cadiz año de 1790*

 

- A la Española primer tono. A la Francesa tono de re. A la Italiana tono de Delasolrre menor

 

Os Caprichos, Preludios, Fantasias, ó Modulaciones… (MP/1659), de Fernando Ferandiere, constituem um grupo de pequenas peças que se encontra dentro do volume factício Ejercicios para guitarra (MP/1659) conservado na Biblioteca Nacional de Espanha (1). Depois da página com o título da obra, o mesmo título que encabeça este texto, seguem dezasseis peças manuscritas, cada uma delas escrita numa página do documento e, na sua maioria, ocupando uns cinco pentagramas.

 

Em 1780 a Real Academia Espanhola inclui no seu dicionário as seguintes definições para “capricho” (p. 192):

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por outro lado, o vocábulo “preludio” é definido da seguinte maneira no dicionário de Terreros y Pando de 1788 (p. 199):

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Só na sexta edição do Dicionário da Língua Espanhola, do ano 1822, aparece una definição musical para “preludio”, além de uma explicação para o verbo “preludiar” (p. 658):

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente, seria interessante acrescentar a entrada “preludiar” do dicionário de Fernando Palatín (1818), cuja definição talvez seja um pouco mais precisa e acorde com as peças que Fernando Ferandiere compôs no ano 1790:

 

“Es cantar ó tocar cualquier paso de fantasía irregular y muy corto, pero pasando por las cuerdas esenciales del Tono, sea para establecerlo, disponer su voz, y tantear un instrumento antes de principiar una pieza de Música” (2)

 

Os caprichos ou prelúdios de Ferandiere parecem ter uma função didática. O título da obra afirma que se dará uma “explicação” dos sinais da música “segundo o método Italiano, Francês e Espanhol”, e uma das páginas interiores do manuscrito explica que “além dos 14 tons referidos há outros dois tons maiores que estão incluídos e postos em prática que são os seguintes […]". Além disso, alguns anos depois da sua composição o mesmo Ferandiere escreveria para o seu método Arte de tocar la guitarra española... (1799) uma peça de características muito similares denominada Lección Sexta / El Laberinto ó Circulo Armonico. De facto, existem concordâncias entre esta lição e os caprichos no que respeita aos seus elementos técnicos e musicais.

 

Resumindo, se bem tudo indica que os dezasseis Caprichos, Preludios, Fantasias, ó Modulaciones… foram escritos com fins didáticos, são uma interessante e singular mostra de um tipo de repertório dos finais do século XVIII que segundo os dicionários da época servia para estabelecer o tom ou ajustar um instrumento antes da interpretação de uma obra de maiores dimensões.

* Agradeço a Luis Briso de Montiano a ajuda prestada ao escrever este texto.

 

(1) Alfredo Vicent descreve o conteúdo deste volume no artigo “Un cuaderno de aficionado inédito de finales del S. XVIII. Estudio e interpretación de su contenido” (Em: Papeles del Festival de música española de Cádiz, nº 3, 2007-2008, pp. 201-211).

 

(2) Diccionario de música (Sevilla 1818), edição e estudo preliminar Ángel Medina, Oviedo, Universidade de Oviedo e Centro de Documentação musical de Andaluzia, 1990, p. 84.

© Ricardo Aleixo Guitarra Produções, 2019

1911122459197.barcode-300.default-cópia.
Logo 26 (PRETO 00000).jpg