"Um livro como o que acaba de publicar Ricardo Aleixo é de consulta obrigatória para quem queira adentrar-se nalgum dos aspetos, autores ou fontes de todo este período do século XVIII"  (Ángel Medina, El otro a ratos, 2017).

"Um livro, portanto, de alto valor científico, uma fonte de referência fiável da qual extrair informação segura, mas também muito mais que isto" (Danilo Prefumo, il Fronimo, nº 179, julho 2017).

Investigação/Artigos
 

 

  • "La  chitarra  in  Spagna  e,  in  particolare,  a Madrid  durante  la  seconda  metà  del  secolo XVIII  e  gli  inizi  del  secolo  XIX. Terza Parte: Il rasgueado e il punteado nella trattatistica di chitarra e il cambiamento stilistico alla fine del secolo XVIII". In: il Fronimo, nº 185 e nº 186, XLVII, Janeiro e Abril 2019, pp. 35-42 e pp. 39-52. Clique AQUI para visitar o site da editora.

  • "Guitar Music Circulation in Spain in the Second Half of the 18th Century". In: Soundboard, Vol. 44, No 4, pp. 11-14, Dezembro 2018. Clique AQUI para visitar o site da editora.

  • “Guitar Music Manuscripts in the Senate Library of Madrid: The Canción Patriótica de la Alianza and its Experimental Notation”. Em: Soundboard Scholar, nº 3, pp. 30-34, Thomas Heck (ed.), 2017. Clique AQUI para visitar o site da editora.

  • "La  chitarra  in  Spagna  e,  in  particolare,  a Madrid  durante  la  seconda  metà  del  secolo XVIII  e  gli  inizi  del  secolo  XIX. Parte seconda: La chitarra e il teatro". Em: il Fronimo, nº 179, ano XLV, julho/setembro 2017, pp. 5-18. Clique AQUI para visitar o site da editora.

 

Resume:

Se o folclore foi o grande dinamizador da guitarra [viola dedilhada] em Madrid ― e, por extensão, na Espanha ― na segunda metade do século XVIII e primeiros anos do XIX, o conceito de instrumento nacional só adquire sentido se consideramos a sua amplia versatilidade social e musical, ou seja, a sua capacidade para adaptar-se e situar-se com facilidade em qualquer estrato e âmbito musical da sociedade. A guitarra ocupava um lugar destacado no terreno das manifestações artísticas e aparecia vinculada aos espaços exteriores e de índole costumbrista; exemplo disso são as referencias aos conhecidos barbeiros, cegos e 'majos' guitarristas, ou os testemunhos dos viajantes estrangeiros, a iconografia da época e o teatro. Mas a sua relação com a música académica e com guitarristas, compositores e tratadistas que se distanciaram do mais popular também determinou um período que, no plano organológico, veria emergir a guitarra de seis ordens e a de seis cordas simples. Porém, a importância da guitarra no contexto da música espanhola do século XVIII só pode entender-se plenamente se conhecemos a sua vertente cortesã, na qual destacaram aficionados ilustres como rainhas, infantes e aristocratas. O facto é que a guitarra ― popular, académica ou cortesã ― tinha-se transformado num símbolo cultural e musical da Espanha e do Madrid do século XVIII. 

Tabela de conteúdos e índices

  • "La  chitarra  in  Spagna  e,  in  particolare,  a Madrid  durante  la  seconda  metà  del  secolo XVIII  e  gli  inizi  del  secolo  XIX: Gli Spagnoli e la chitarra visti dai viaggiatori". Em: il Fronimo, nº 178, ano XLV, abril 2017, pp. 22-34. Clique AQUI para visitar o site da editora.

  • “Il fondo di musica per chitarra della Biblioteca del Senato di Madrid: la Canción patriótica de la alianza e il suo peculiare sistema di notazione"”. Em: il Fronimo, nº 173, ano XLIV, janeiro 2016, pp. 32-40. Clique AQUI para visitar o site da editora.

 

 

  • La guitarra en Madrid (1750-ca.1808): fuentes y difusión (Tese de doutoramento, 2015). Resume / Publicada

 

"Ricardo Jorge de Sousa Aleixo realizou uma tese de doutoramento excelente, que faz um contributo sustentado e muito original ao estudo da guitarra [viola dedilhada] na segunda metade do século XVIII. O enfoque sobre Madrid é exemplar e levou o candidato a produzir uma crónica diversificada, mas ao mesmo tempo exaustiva e rigorosamente documentada da guitarra na vida musical da capital espanhola. As diferentes abordagens para o estudo da guitarra nos capítulos 1-6 apresentam perspetivas fascinantes sobre o instrumento, os seus contextos, estilos de interpretação e música. A metodologia é apropriada para o estudo realizado. A tese é escrita com lucidez, claramente estruturada, metodologicamente sólida e representa um importante contributo para a erudição sobre a criação musical na Espanha do século XVIII. As conclusões certificam o resultado produtivo deste projeto de pesquisa multifacetado. Sinceramente, espero que a tese seja publicada num futuro próximo (tanto em espanhol como em inglês), pois é de importância internacional." (*) (Traduzido do texto original em inglês) - Michael Christoforidis (Melbourne Conservatorium of Music, The University of Melbourne)

                                                                                                     

 

 

"Esta tese expõe o que foi a guitarra [viola dedilhada] em Madrid durante os anos 1750-1808 com uma nova e fresca clareza que requer uma revisão das histórias gerais do instrumento e da sua música. É um trabalho multifacetado que abrange a história social da guitarra por meio século no qual o instrumento moderno assume a sua identidade emblemática. O estudo social inclui evidências internas — imprensa e crónicas locais — e é complementado com o testemunho de viajantes estrangeiros cuja visão equilibra as opiniões locais. Este estudo do contexto social serve para entender a produção musical do instrumento e o próprio instrumento. O autor revela uma série de documentos musicais, iconográficos e textuais que permitem contextualizar essa relação como jamais fora feito, sistemática e ordenada, dando verdade inegável ao que até agora era principalmente alusão associativa. [...] Sem dúvida, este trabalho é uma contribuição de grande importância para a história da guitarra e uma tese que mostra que o candidato merece receber o grau de doutor". (Traduzido do texto original em espanhol)  - John Griffiths (Monash Unitersity)

                                                                                                                                                                                                                        

 

 

"A tese que se informa aqui constitui uma contribuição relevante ao conhecimento da guitarra [viola dedilhada] e o seu repertório na segunda metade do século XVIII, e um valioso contributo ao conhecimento de um dos períodos menos estudados da história da música. É um trabalho original, bem planeado, correto em sua metodologia e honesto, que descobre documentação importante e realiza uma interpretação precisa dos documentos e fontes usadas". (Traduzido do texto original em espanhol) - Javier Suárez-Pajares (Universidad Complutense de Madrid)

                                                                                                                                                       

 

 

        (*) Esta resenha e as que seguem foram extraídas dos informes escritos por três doutores especialistas, antes da defesa da tese. 

   

 

  • “An Uncatalogued Piece by Fernando Sor?”. Em: Soundboard Scholar, nº 1, Thomas Heck (ed.), 2015. Clique AQUI para visitar o site da editora.

 

 

  • “Una canción patriótica de los años de la Guerra de la Independencia Española (1808-1814) en el fondo de música para guitarra de la Biblioteca del Senado de Madrid”. En: Clásica2, Revista de Ópera y Música Clásica (online), Manuel López-Benito (ed.), 2014. Clique AQUI para consultar o texto.

 

 

  • “La guitarra en España en los libros de viaje de la segunda mitad del siglo XVIII: elemento de identidad nacional”. Em: Musicología global, musicología local (DVD), Javier Marín López, Germán Gan Quesada, Elena Torres Clemente, Pilar Ramos López (eds.), Sociedad Española de Musicología, 2013, pp. 2313-2329. Clique AQUI para visitar o site da editora.

  • “Un pezzo non catalogato di Fernando Sor”. Em: il Fronimo, nº 163, ano XLI, julho 2013, pp. 50-56. Clique AQUI para visitar o site da editora.

 

 

 

 

 
 

© Ricardo Aleixo Guitarra Produções, 2019

1911122459197.barcode-300.default-cópia.
Logo 26 (PRETO 00000).jpg